(11) 4355-6600 / (11) 97276-0439

Mazurky - Caixas de Papelão Ondulado

Demanda aquecida gera preocupação sobre desabastecimento no setor de papelão

Demanda aquecida gera preocupação sobre desabastecimento no setor de papelão

24 maio
Postado por:
Mazurky

Estudos de entidades da cadeia apontam que o estoque de papéis utilizados na produção de papelão, casos do reciclado e do kraftliner feito a partir de fibras virgens, pode chegar a um nível próximo de cinco dias no quarto trimestre. Tradicionalmente, os estoques da cadeia oscilam entre 15 e 20 dias. “Temos a previsão de um mercado bastante estressado em termos de matéria-prima. Mas acredito que, se o mercado entender a alta dos custos, passaremos com tranquilidade (por esse período)”, minimiza o presidente da Associação Brasileira do Papelão Ondulado (ABPO), Ricardo Trombini.

A alta dos custos citada por Trombini será repassada aos clientes, segundo apurou o Broadcast (leia a seguir). Com melhores preços, a indústria brasileira de papelão ondulado pretende remunerar os fornecedores e, dessa forma, desestimular as exportações de matéria-prima. A Klabin, por exemplo, exportou 48 mil toneladas de kraftliner no primeiro trimestre, o equivalente a 53% de suas vendas nesse segmento.

O provável aperto entre oferta e demanda no segundo semestre, quando o volume de vendas cresce substancialmente para atender as necessidades de final de ano, tem origem na crise da economia mundial em 2008. Diante do cenário adverso e consequente retração dos preços e margens, as empresas brasileiras abandonaram projetos de expansão. Além disso, a Klabin interrompeu em 2009 as operações da fábrica de papéis reciclados de Ponte Nova (MG) – a unidade foi vendida para a Indústria de Embalagens Tocantins, que deve reiniciar a produção local nas próximas semanas.

Também por conta do momento adverso da economia, os preços das aparas caíram, reduzindo o trabalho de coleta e reciclagem do material. No mesmo período, grandes fabricantes do hemisfério Norte anunciaram uma onda de fechamento de fábricas, o que abriu espaço para novas exportações brasileiras.

Na prática, a oferta de fibras encolheu e passou a ser mais disputada também por clientes estrangeiros, o que já provocou preocupações anteriores no setor. No final de 2012, os estoques caíram para o equivalente a 12 dias de produção. Como reação, a Klabin anunciou investimentos de R$ 300 milhões na compra de uma nova máquina de papéis reciclados, a ser instalada na unidade de Goiana (PE). O equipamento, porém, entrará em operação apenas em meados de 2014. Empresas como Rigesa e Fernandez, além da Tocantins, também ampliarão a oferta de papéis, garantindo assim maior segurança de abastecimento ao mercado a partir no próximo ano.

“Se o segundo semestre mantiver o ritmo de crescimento do início do ano, é possível termos um período mais apertado, sugerindo escassez de papel”, analisa o diretor de negócios Papel e Embalagem da Celulose Irani, Sérgio Ribas.

Limite da capacidade

A própria Irani, que produz papelão e papel, sendo parte desse segundo produto vendida a terceiros, opera no limite de capacidade neste momento. “Se as vendas (de papelão) ficarem na casa de 300 mil a 310 mil toneladas por mês, acredito que teremos equilíbrio entre oferta e demanda. Se o número oscilar muito para cima, poderemos ter algum stress”, antecipou o executivo.

O volume de vendas de papelão superou a marca de 300 mil toneladas mensais em agosto e outubro de 2012 e deve voltar a ultrapassar esse patamar entre agosto e novembro deste ano, caso não haja uma desaceleração brusca na atividade econômica nacional. E, se o volume ficar em patamares elevados durante esses quatro meses, será inevitável que o setor precise se ajustar a um ambiente de oferta mais restrita.

“Acredito que não faltará (papel). Mas é possível que gere certo atraso e o fornecedor, que leva três a quatro dias para entregar papel na minha fábrica, faça a entrega em sete ou oito dias”, analisa o diretor comercial da Mazurky, Eduardo Mazurkyewistz.

Embora haja preocupação em relação a possíveis desabastecimentos, o setor não tem como se adequar a esse cenário a partir da estocagem de papéis. Afinal, o armazenamento iria requerer grandes áreas, o que é inviável para as empresas que adquirem papéis de grandes produtoras do setor, casos de Klabin, Rigesa e Orsa International Paper Embalagens. Procuradas, as líderes do setor não comentaram o assunto. (André Magnabosco – andre.magnabosco@estadao.com)

Veículo: Agência Estado

INFORMAÇÕES

Para obter mais informações sobre os nossos produtos, entre em contato conosco.

LOCALIZAÇÃO

Rua das Orquideas, 475
Vila Marchi - São Bernardo do Campo, SP
CEP: 09810-390

CONTATOS

+ 55 (11) 4509-6008

FALE CONOSCO

Copyright © 2014 – 2017 - Mazurky - Todos os Direitos reservados.

ColetivaWeb